quarta-feira, julho 14, 2010

Queimaduras afetam a pele e a autoestima


A pele do nosso corpo é tão sensível que basta uma encostadinha, durante segundos, no ferro de passar roupa ou no vapor da chaleira para ocorrer uma queimadura. Muitas vezes, alguns poucos minutos debaixo do Sol forte, sem a proteção do filtro solar, são suficientes para gerar dor e ardência. Dependendo da profundidade, a pele se rompe e reage com bolhas e vermelhidão.

E ainda há os acidentes de maior gravidade que, infelizmente geram danos na mesma proporção. Desencadeadas por agentes externos - como a eletricidade, frio e calor -, as queimaduras são lesões que exigem cuidado extremo tanto quando forem ser tratadas quanto na hora de socorrer uma vítima. Remédios caseiros e atitudes precipitadas, por exemplo, podem aumentar a seriedade do machucado e deixar marcas profundas na pele e na autoestima.

A maioria dos casos de queimaduras, ocorridos dentro de casa, poderiam ser evitados se fossem tomados alguns cuidados preventivos. "O cabo da panela quente virado para fora do fogão pode significar um desastre, caso alguém passe e derrube", explica o bombeiro André Luis dos Santos, do Posto de Bombeiros da Vila Galvão, em Guarulhos. Outra causa muito comum de queimaduras são os agentes elétricos como bateria de carro, celular e pilhas. "As pessoas mexem com eletricidade, sem ter noção dos perigos à saúde", diz. 
Queimaduras
O susto provocado por uma queimadura faz com que as pessoas sejam inconsequentes para conter a dor e possíveis marcas na pele. Segundo o cirurgião plástico Renato Fusaro, diante dos sintomas e do desespero causado pela possibilidade de ficar com cicatrizes, as pessoas apelam para o uso de substâncias inadequadas na hora de tratar a lesão, o que pode se transformar em uma medida desastrosa. Aplicar café, manteiga, cândida, creme dental, gelo e tantos outros unguentos no local afetado só agravam a situação. "Não dá para tratar a lesão com receita caseira. Uma pomada não indicada também pode deixar marcas profundas e reversíveis apenas com cirurgia plástica", explica Renato.

As queimaduras são classificadas de acordo com a profundidade e o agente causador da lesão. Esta categorização é importante para se avaliar a previsão de cicatrização e o tempo de cura. Os agentes causadores se dividem em:

Elétricos
Eletricidade, baterias, pilhas, tomadas, entre outros

Térmicos
Calor e frio

Químicos
Produtos químicos como cal e soda cáustica (corrosivos), álcool em gel (inflamável) 
Queimaduras
Queimadura de primeiro grau
É uma lesão mais superficial, que resulta na pele avermelhada, inchada e dolorida. Uma exposição prolongada ao Sol, por exemplo, pode desencadear este tipo de lesão. 
Queimadura de segundo grau
Causa uma lesão mais profunda, na qual se formam bolhas na pele, que apresentam uma coloração vermelha ou branca e contêm um líquido claro e espesso. A queimadura, dolorosa ao tato, pode ficar branca quando tocada. É a mais dolorosa de todas. 
Queimadura de terceiro grau
É o mais profundo e o mais grave nível de queimadura. Caracteriza-se pelo aparecimento de morte do tecido (necrose), pela cor esbranquiçada da pele e pela ausência de dor. A área queimada perde a sensibilidade ao tato. ?Geralmente, as queimaduras de terceiro grau são indolores porque as terminações nervosas da pele são destruídas?, explica o cirurgião plástico Renato Fusaro.
Primeiros socorros
- Tirar a roupa de cima da área queimada
- Tirar demais acessórios para que o inchaço natural do corpo não comprometa a circulação
- Interromper a ação do agente causador da queimadura na pele. Para cada agente causador existe um tratamento específico. Isso pode ser feito com a utilização de água corrente na zona lesada. Um jato fraco e demorado de água fria ajuda a resfriar a lesão e é o melhor tipo de tratamento imediato para a queimadura.

Porém, em determinadas lesões, o uso da água também agrava o problema. Se o agente causador da queimadura for a soda cáustica, por exemplo, que reage com água, deve-se retirar o produto com um pano macio. 
Atadura
O que não fazer
- Não cubra a vítima com cobertores sintéticos, pois são inflamáveis
- Não fure as bolhas, porque podem resultar em uma infecção
- Não jogue produtos como a clara de ovo, creme dental, pó de café, açúcar, entre outros, mas sim, encaminhe a vítima para um médico
- Não aplique água com gelo na lesão, pois o objetivo da água é resfriar e estabilizar a temperatura do corpo. O gelo vai esfriar demais a pele, abaixando muito a temperatura, o que aumentará a dor da vítima
- Não abafe a área afetada com ataduras, gazes ou algodão 
Tratamento
De maneira geral, as queimaduras de primeiro grau podem ser tratadas clinicamente com a utilização de pomadas específicas, de ação calmante. Já as lesões mais graves, têm um tratamento inicial com pomadas e, frequentemente, necessitam de procedimentos cirúrgicos, como a realização de enxertos de pele, pois a necrose destrói a zona lesada e exige este tipo de reparação. Seja qual for o tratamento, ele deve ser recomendado e acompanhado por um médico. 
Atendimento psicológico
Os danos causados por uma queimadura mais grave vão muito além da dor física. O trauma, as cicatrizes deixadas na pele e a sensação de ter deixado de ser o que era faz com que os pacientes se sintam feios e fiquem com a autoestima abalada. "É difícil para a pessoa aceitar as marcas deixadas pela lesão e superar o trauma, por isso é fundamental a ajuda psicológica", diz o cirurgião plástico Renato Fusaro.

Nenhum comentário:

Follow by Email